FRENTES Arquitetura
logo FRENTES
 
   
       
 

Designing in Teheran PROJECT A
CONCURSO INTERNACIONAL DE IDÉIAS PARA EDIFÍCIO MULTIUSO, TEERÃ, IRÃ, 2009

English version below

PROJETO A

“There is logic in proven practices”
Iranian proverb

O Edifício A teve como ponto de partida três aspectos: a criação de uma obra que fosse marcante no tecido urbano na cidade, que respondesse à dinâmica das condições ambientais locais e que fosse economicamente viável. Na arquitetura tradicional do Irã, a compreensão do clima, materiais locais e recursos naturais renováveis têm sido utilizados e nosso projeto é um desenho contemporâneo das práticas arquitetônicas bem-sucedidas iranianas.

Implantamos o edifício afastado da via principal, configurando uma área verde na entrada e diferenciando-o das demais construções da cidade, majoritariamente implantadas na divisa frontal do lote. Situamos o Núcleo de Circulações em uma torre de vidro ao leste, liberando, assim, todas as demais fachadas, principalmente as do térreo e primeiro piso, que são as vitrines das lojas.

Os blocos formados pelos pisos de uso comercial (térreo e 1º pavimento de 1.200 m2 cada) e de uso de escritórios (2º, 3º e 4º pavimentos de 900 m2 cada e 5º e 6º pavimentos de 675 m2 cada) são volumetricamente distintos, formando terraços ajardinados em suas coberturas.

O bloco do último pavimento, formado por apartamentos, está totalmente solto, apoiado por uma estrutura composta de pilares metálicos inclinados como se fossem árvores, destacando-se dos demais pisos através de uma grande praça na cobertura do 6º pavimento. A cobertura destes apartamentos é um “telhado verde” e nele encontram-se painéis solares para produção de energia e aquecimento da água.

O edifício foi projetado de modo a produzir o menor impacto ambiental na sua construção e na sua operação, abrangendo também aspectos mais amplos de sustentabilidade. Em uma cidade de clima extremamente seco como Teerã, é fundamental o reaproveitamento da água. Sendo assim, além de capturarem as águas pluviais para posterior reuso, os “telhados verdes” que projetamos, retardam a velocidade com que a água chega aos sistemas de coleta, proporcionam proteção térmica e acústica no interior dos ambientes e contribuem, em escala global, para a restauração dos ciclos hídricos.

O clima de Teerã, além de seco, tem altas temperaturas no verão e baixas temperaturas no inverno. Projetamos um sistema de resfriamento e aquecimento passivos do ar, de acordo com as estações do ano, através de ventilação cruzada, exaustão por efeito chaminé, sombreamento das faces ensolaradas e envidraçadas no verão e aquecimento do vidro (efeito estufa) no inverno. Para isso, utilizamos elementos tradicionais da cultura local: os windcatchers (“bagdir”) e os “elementos vazados” nas fachadas.

Todas estas ações favorecerão um ótimo acondicionamento natural deste edifício, já que foi
implantado numa orientação favorável quanto aos ventos e incidência da luz do sol, é “poroso” com relação a sua massa construída, deixando-o bem ventilado no verão, é dotado de espaços de transição que promovem a permeabilidade entre os ambientes, possui a presença ativa de vegetação nos espaços de convívio produzindo sombra, resfriamento e filtragem do ar, além de pátios e varandas que integram os ambientes fisicamente e visualmente.

Este novo Edifício ao Norte de Teerã, próximo à magnífica Cadeia de Montanhas Alborz, será complexo e vibrante como a cidade, hospitaleiro como o seu povo: um prenúncio de tempos plenos.

PROJECT A

“There is logic in proven practices”
Iranian proverb

The multistorey building had three aspects as start point: the creation of a mark throughout the urban tissue of the city, which could meet the dynamics of the local environmental conditions, being also financially feasible. In the Iranian traditional architecture, the understanding of the climate, local materials and renewable natural resources has been used, being our project a contemporary design of the Iranian successful architectural practices.

We have located the building far off the main road, configuring a green area in the entrance and making it different from the other buildings of the city, implanted primarily in the frontal division of the site. We have put the Circulation Core in a glass tower at east, releasing, thus, all the other facades, especially those of the ground floor and first floor, which are the store’s windows.

The blocks composed by the floors for commercial use (ground floor, and first floor, 1.200 m2 each) and by those for use of offices (2nd, 3rd and 4th floors of 900 m2, and 5th and 6th floors of 675 m2 each) are volumetrically distinct, forming garden terraces in its roofs.

The block of the last floor, composed of apartments, is completely free, supported by a structure composed of slanted metallic pillars as if they were trees, detaching from the other floors through a big square on the roof of the 6th floor: the Green Plateau. The covering of these apartments are green roofs and there we can find solar panels for energy production and water heating.

The building was designed as to produce the less environmental impact from its construction and operation, comprising also more deep aspects of sustainability. In a city with such a dry weather as Teheran, the water reuse is mandatory. So, in addition to capture the rainwater for later reuse, the green roofs we projected delay the speed in which the water comes to the collection systems, provide thermal and acoustic protection for the ambiences’ interior, and contribute, in global scale, for the restoration of the water cycles.

Teheran’s climate, in addition to being dry, is one of high temperatures in summer and low temperatures in winter. We projected an air passive cooling and heating system, matching with the seasons of the year, through crossed ventilation, exhaustion by chimney effect, shadow from the sunny and glassy facades in summer, and the glass heating (greenhouse effect) in winter. For doing so, we used traditional elements from the local culture: the windcatchers (“bagdir”) and latticework in the facades.

All those actions will contribute for a good natural conditioning of this building, since it was implanted in a favorable direction as for winds and the lighting incidence, it is "porous" regarding its constructed mass, providing a good ventilation in summer, it has transition spaces that provide permeability between the ambiences, it has an active presence of vegetation in the social spaces, producing shadow, air’s cooling and filtering, in addition to courtyards and terraces that integrate the ambiences, both physically and visually.

This new building at the north of Teheran, next to the outstanding Albors Mountaing Range, will be as complex and vibrating as the city, with the same hospitality of its people: a sign of
fulfilled times.

Ficha técnica

Arquitetura: José Alves + Juliana Corradini

Colaborador: André Almeida
Traduções: Vanessa Yamamoto